Entrevistas

Elba Ramalho lista álbuns importantes para sua vida

Elba ramalho 1

O Grande Encontro, a bem-sucedida reunião de Elba Ramalho, Geraldo Azevedo, Alceu Valença e Zé Ramalho, que resultou num dos álbuns mais aclamados da MPB – gravado na casa de shows Canecão (Rio de Janeiro) e lançado pela BMG Ariolla –, comemora 20 anos. Para lembrar a data, Elba, Geraldo e Alceu decidiram retomar o projeto, sair em turnê e registrar o novo show para lançamento em CD e DVD ao vivo (a data e o local da gravação do projeto ainda não foram anunciados). Por questões de agenda, Zé Ramalho acabou não podendo participar deste revival.

Mesclando, no repertório, clássicos da MPB, música nordestina e sucessos dos três artistas, O Grande Encontro 2 traz ainda três músicas inéditas – Ciranda da traição (Alceu Valença), O melhor presente (parceria de Elba, Geraldo e Toni Garrido) e Só depois de muito amor (Geraldo Azevedo e Abel Silva). No mês de outubro, a tour passou por São Paulo, Teresina, Brasília, São Luis, Uberlândia e Salvador. Em novembro, estará em cidades como Vila Velha (4), Campina Grande (25) e João Pessoa (26). Em dezembro, passará por Olinda (2) e Fortaleza (3). Em tempo: os shows estão sendo marcados de acordo com a compatibilidade das agendas dos três artistas, que continuam em paralelo realizando apresentações solo em todo país.

No mês de outubro, Elba Ramalho, enquanto festejava mais uma indicação para o Latin GRAMMY – ela já foi indicada ao prêmio quatro vezes, venceu em 2008 e 2009 e neste ano é finalista na categoria Melhor Álbum de Música de Raízes com Cordas, Gonzaga e afins –, topou participar desta seção de SUCESSO!. “É gostoso parar e pensar nos discos prediletos, mas também é uma tarefa muito difícil. Eu queria poder listar 100 títulos. Mesmo assim, alguns discos marcantes ficariam de fora. Música tem muito a ver com o momento. Durante o último o verão, escutei bastante o disco Cosmotron, do Skank. Algum tempo atrás, fiz o mesmo com o CD da Monique Kessous. É uma escolha bem difícil eleger 10 títulos, mas vamos ao trabalho”, afirmou. Confira a seguir os álbuns eleitos por Elba Ramalho:

1 – Luiz Gonzaga
São João na roça (1965)
“Escolho este disco específico, entre dezenas de bons títulos do mestre Gonzagão, pela memória afetiva, pelas lembranças das festas juninas na minha infância e juventude e pelo que ele representa para mim enquanto intérprete, enquanto nordestina, enquanto brasileira”.

2 – Jackson do Pandeiro
Os grandes sucessos de Jackson do Pandeiro (1975)
“Me lembro deste vinil – que contém faixas como Morena bela, Tum-tum-tum, Casaca de couro e Forró de surubin – tocando na minha casa. Festas e celebrações embaladas por este gênio da MPB que influenciou muito a minha carreira. Um super craque.

3 – Billie Holiday
The essential Billie Holiday: Carnegie Hall concert recorded live (1956)
“Uma aula de música, um disco marcante, que capta a essência da apresentação ao vivo. Traz clássicos como Lady sings the blues e Don’t explain”.

4 – Bob Marley
Legend (1984)
“Sempre gostei de reggae, já gravei diversas faixas do gênero ao longo da minha carreira. E este artista é um ícone. Bob Marley é simplesmente o melhor. Quem conhece o ritmo sabe que este é um disco emblemático”.

5 – Caetano Veloso
Fina estampa (1994)
“Com pérolas como Maria Bonita e Recuerdos de Ypacaraí, este é, para mim, o melhor disco da carreira de Caetano. Tudo no lugar certo”.

6 – Lenine
Na pressão (1999)
“Sou suspeita para falar sobre Lenine. Fui a primeira a gravar uma composição dele (no caso, A Roda do tempo, parceria com Bráulio Pedroso) e sempre fui sua grande admiradora. Este disco mostrou toda a genialidade deste grande artista”.

7 – Lula Queiroga
Todo dia é o fim do mundo (2012)
“É um disco incrível, um trabalho que merece todos os elogios. Conheço Lula há mais de 30 anos. Ele sempre foi uma usina de ideias, é super criativo. Mas Lula superou as expectativas com este disco. Destaque para a co-produção de Yuri Queiroga”.

8 – Elba Ramalho & Dominguinhos
Baião de dois (2005)
“Gravei mais de 30 composições do mestre Dominguinhos e sinto muito não ter registrado este trabalho em DVD também. É um álbum primoroso, do qual tenho muito orgulho. Tem Eu só quero um xodó, Lamento sertanejo, Gostoso demais, De volta pro aconchego e tantas outras músicas marcantes”.

9 – Count Basie, Ella Fitzgerald e Joe Pass
Digital III at Montreux (1980)
“É um super encontro de craques. Gosto da gravação ao vivo, me identifico com o Festival de Montreux e é o tipo de disco que fico escutando repetidamente por horas”.

10 – Elba Ramalho
Do meu olhar pra fora (2015)
“Talvez seja o disco que eu mais goste da minha carreira. Ter meu filho Luã como produtor foi uma experiência grandiosa. Embora o disco reúna muitos ritmos, tudo tem o meu DNA, desde a primeira nota. O disco foi muito elogiado e o show derivado dele, idem. E foi um prazer imenso trabalhar com meu filho”.

Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mais popular

Topo