Destaque

Sony relança o melhor da discografia de Sandra de Sá

sandra de sá 26 agosto

Sandra de Sá está celebrando seus 40 anos de carreira neste ano de 2020, fato que levou a Sony Music Brasil a oferecer um presente aos fãs da cantora. Serão disponibilizados três álbuns de carreira, um compacto e quatro compilações da artista nas plataformas de streaming. Trata-se de mais uma ação do marketing estratégico da gravadora, dando prosseguimento ao projeto de digitalização do seu catálogo, incluindo a restauração de tapes analógicos e projetos gráficos originais.

Além dos álbuns da cantora que já estavam disponibilizados, gravados na extinta RCA/BMG, atual Sony Music – o primeiro e antológico “Sandra Sá” (1986), dos hits “Retratos e Canções” e “Joga Fora (no lixo)”, o último e menos conhecido registrado na companhia, “Sandra de Sá” (1993) e duas coletâneas –, entram agora “Sandra de Sá” (1988); “Sandra!” (1990); “Lucky!” (1991), além de um compacto de 1986 com a balada “Entre nós” (em duo com Michael Sullivan) que traz no lado B uma canção pop instrumental, “Love Time”, do grupo Clock; além das coletâneas “O Melhor de Sandra de Sá” (sua primeira compilação, de 1989) e seus volumes das séries “Acervo” (1993), “Focus” (1999) e “RCA – 100 Anos de Música” (2001).

Trata-se da fase de maior sucesso da carreira de Sandra de Sá, que veio seis anos após sua estreia no Festival MPB 1980 da TV Globo, sedimentando ainda mais seu nome no olimpo da cultura Black Rio. “Foi uma fase de ampliação de conhecimento e de reconhecimento da minha própria arte. Ainda estava muito crua no meio artístico, pois não fui do tipo que passou a vida inteira querendo ser artista. Queria ser psicóloga, música para mim era um hobby, saía naturalmente, era como respirar. Até me convencer de que havia um mercado, um mecanismo para as coisas acontecerem, altas estratégias, demorou um pouco. Aprendi muito durante essa época e tive certeza que só eu mesma poderia escrever minha própria história na música”, explica Sandra.

Entre os destaques do pacote está o hoje clássico “Bye, Bye Tristeza”, de Marcos Valle e Carlos Colla, gravada num disco de 1988, que levava o nome a cantora. “Não posso deixar de fora dos shows. Agrada a todas as idades. É curioso porque desde o começo eu canto essa música não pensando num romance, mas como um hino do ser humano, que quer ser feliz”, afirma Sandra.

Confira faixas da discografia de Sandra de Sá em fase de relançamento: 

 

 

 

Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Topo